7. Portugal: laranja mecânica

   A laranja é o fruto que mais longe leva o nome de Portugal no Mundo. Eis como.

   Há variadas razões pelas quais um determinado país é conhecido no mundo: a sua influência cultural, desportiva, histórica, entre outras. O decisivo papel de Portugal como país que iniciou os Descobrimentos e deu início à primeira Globalização é esquecido ou ignorado Não é a sua História, nem Cultura nem eventos desportivos que mais longe levam o nome “Portugal”. Tal honra deve-se a um simples fruto, a humilde laranja. Analisemos primeiro o que é ao certo uma «laranja».

   Originária do Sudoeste Asiático, a Laranja terá surgido pelo cruzamento entre o Pomelo/Cimboa (Citrus maxima) e a Tangerina (Citrus reticulata). Há duas distintas espécies de laranjas: a «laranja doce» (Citrus sinensis) e a «laranja amarga» (Citrus aurantium). A primeira a chegar, vinda da China, ao Médio Oriente, nomeadamente à Pérsia, foi a «laranja amarga» (C. aurantium). Essa variedade de laranja (amarga) ainda hoje é conhecida como «maçã chinesa» (e.g., «apfelsine», em Alemão) e é muito usada na perfumaria e na produção de compotas. Foi essa a primeira laranja a chegar à Europa, quando foi introduzida, em Itália, no século XI, vinda da Pérsia. Até que, no século XV, os portugueses chegaram à Índia e trouxeram uma outra variedade de laranjas. Estas eram doces e mais do agrado do paladar da maioria das pessoas. Ao longo das rotas marítimas, os navegadores portugueses plantaram laranjeiras, como forma de combaterem o escorbuto (doença provocada pela falta de vitamina C no organismo). Durante séculos, a principal fonte de importação das laranjas doces era Portugal (e as suas colónias). De tal forma que, em muitas línguas, Portugal passou a ser sinónimo da laranja doce:
~ Árabe: al-Burtuqal «البرتقال»
~ Búlgaro: Portokal «портокал»;
~ Etíope: Birtukan «birtukan»;
~ Georgiano: Phortokhali «ფორთოხალი»;
~ Grego: Portokali «πορτοκάλι»;
~ Italiano (alguns dialectos): Portogallo;
~ Persa: Porteghal «پرتقال»
~ Romeno: Portocala «Portocală»;
~ Turco: Portakal «Portakal».
No livro de Ficção-Científica «Dune», de Frank Herbert, fortemente influenciado pela cultura, modo de vida e língua árabes, é dado o nome de «Portyguls» às laranjas.

Como é natural, em português o fruto não se chama Portugal, é «laranja». Esta palavra deriva do Sânscrito (antiga língua indiana de moderno uso religioso) «nāraṅgaḥ». Daqui derivou o persa «nārang», que deu origem ao árabe «nāranj», de onde veio o «laranja» português, «naranja» espanhol e «arancia» italiano. Não temos um nome distintivo para as laranjas amargas e para as laranjas doces, enquanto que, para os árabes, «nāranj» é a laranja-amarga» e «al-Burtuqal» é a laranja-doce.

Dióspiro   É uma fruta que geralmente se associa à Vitamina C e ao combate às Gripes e Constipações. No entanto, a laranja não é a fruta com maior percentagem de Vitamina C. A laranja tem 0,05% de vitamina C e o limão tem 0,04%. Mas a acerola (0,72%), a amora (0,2%), os pimentos (0,19%), a salsa (0,13), o kiwi (0,09%), os brócolos (0,09%), couves-de-bruxelas (0,08%), dióspiros (0,08%), papaia (0,08%), morangos (0,08%) têm mais Vitamina C. Por exemplo, um quilograma de amoras tem 2 gramas de Vitamina C, enquanto um quilograma de laranjas tem apenas 0,5 gramas! Além disso, não há qualquer ligação cientificamente estabelecida entre a Vitamina C e o combate às gripes e constipações por «reforço imunitário».

Nuvem    As causas das gripes e das constipações nada têm a ver com os ditos populares de que são «causadas» pelo frio ou pela chuva. Esse é um mito do século 18, que se propagou naturalmente, sem fundamentos válidos. Tanto se repete e repetiu que parece «verdade» mas não é.

   Da próxima vez que se ouvir a expressão «laranja mecânica», como referência à selecção de futebol da Nederlândia, vulgo «Países Baixos» ou o extremamente incorrecto «Holanda», pense-se que, para muitos países do mundo (entre eles vários apreciadores de futebol), Portugal é a verdadeira selecção LARANJA!

Laranja_mecânica   «Clockwork Orange» (Laranja mecânica) é o título de um livro do escritor inglês Anthony Burgess, datado de 1962, que relata a vida de um grupo de jovens marginais inglesas que praticam crimes nas ruas de Londres. O livro deu origem a um filme com o mesmo nome, realizado por Stanley Kubrick, em 1971. Devido ao facto de a cor predominante da selecção da Nederlândia ser laranja, alguém achou engraçado fazer essa referência e a moda pegou…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *