Arquivo da Categoria: Física

126. Ovos de Newton

A ligação entre maçãs, ketchup, articulações, bebidas gaseificadas e ovos, como se pode andar em cima da água, porque estalam as articulações do corpo e a doença dos reis.

   O esqueleto humano é composto por 206 ossos (300 no nascimento) e tem 6 funções diferentes: suporte, movimento, proteção de órgãos vitais, produção de células sanguíneas, armazenamento de minerais e regulação endócrina (as hormonas, que controlam o crescimento e o metabolismo corporal). Há medida que uma pessoa envelhece, a quantidade de ossos individuais diminui num processo que termina geralmente pouco depois dos 30 anos de idade. O estudo do esqueleto terá começado com Herófilo, um médico que viveu entre os séculos 4 AEC e 3 AEC que viveu em Alexandria onde fundou a primeira escola de Anatomia. Durante a sua vida escreveu 9 livros, sobre assuntos que iam desde a circulação sanguínea ao parto e estudo do esqueleto. Nenhum dos seus livros sobreviveu até ao presente, constituindo os textos de Galeno (o médico grego do século 1 que viveu na cidade que deu o nome aos pergaminhos e de que se falou em Tentilhões marcados) a principal fonte sobre os seus textos e descobertas.

   Os ossos que se proporcionam o movimento não estão em contacto direto uns com os outros . Entre eles há as articulações, cujo lubrificante é uma pequena quantidade de líquido (olíquido sinovial) que impede os ossos de tocarem uns nos outros e danificarem-se. Este líquido tem uma aparência clara semelhante à gema dos ovos e recebeu o seu nome de Paracelso, o médico e astrólogo suíço do século 16.  O prefixo ‘sin’ vem do Antigo Grego σύν «sún» que é uma raíz que significa “semelhante” e ᾠόν «ōión» (e a origem à palavra latina «ōvum») que significa «ovo», devido à sua semelhança com a clara do ovo. Coincidentemente, Paracelso nasceu numa pequena comuna na Suíça chamada Egg (parte da comuna maior de Einsiedeln) que significa «ovo» em Inglês mas não em Alemão (que é Ei). Egg faz parte do Cantão de Swyz, um dos Cantões originais que se uniram para formar a Suíça e cujo nome deu origem ao nome do país e cujo brasão deu origem à bandeira. Existe outra Egg na Suíça, no Cantão de Zurique, mas Paracelso nasceu em Egg, Einsiedeln, Schwyz.

    O líquido sinovial é um fluido não-Newtoniano, tal como o mel, o alcatrão, a gelatina, as areias movediças, a resina das plantas, o sangue, o amido de milho (a farinha Maizena) ou o ketchup. A viscosidade é a medida de quanto um líquido resiste às alterações provocadas pela  aplicação de uma força. Um fluido Newtoniano, como a água, o leite ou o óleo, segue a lei de Newton para os líquidos, nos quais a aplicação de uma força resulta numa deformação e velocidade de escoamento constantes e a viscosidade mantém-se igual. Nos líquidos não-Newtonianos, a aplicação de uma força resulta em deformações e mudanças de velocidade e consistência diferentes para cada um. Quando se aplica força sobre uma zona de areias movediças, estas mudam de consistência e a sua viscosidade diminui, passando de pastoso a líquido quando a intensidade da força aplicada aumenta. Nas gelatinas, a viscosidade diminui com o aumento da duração da aplicação da força. Quando se aplica força no ketchup, a sua viscosidade diminui quando se aumenta a intensidade da força aplicada. No amido de milho, a viscosidade aumenta quando se aumenta a intensidade da força, tornando o líquido sólido e permitindo caminhar (como se pode ver neste vídeo) sobre uma combinação de amido de milho e água.

 O líquido sinovial é composto por ácido hialurónico (uma substância viscosa), lubricina (também viscosa) e contém monócitos (também chamados macrófagos e encarregues de manter o líquido sinovial limpo) e dióxido de carbono (CO2) dissolvido, a mesma substância que se expira na respiração e que faz borbulhar os refrigerantes e águas gaseificadas. A razão pela qual as articulações «estalam» é semelhante à forma como os refrigerantes borbulham. O fluido sinovial contém cerca de 15% de CO2 dissolvido. Quando se «estalam» os dedos estica-se a articulação e desse modo cria-se uma zona de baixa pressão dentro do fluido sinovial.

   Quando se abre uma lata com líquido gaseificado, que se encontra dentro da lata com uma maior pressão do que o ar exterior, este borbulha quando a pressão baixa. Da mesma forma, cria-se uma bolha de CO2 e de vapor de água na zona de baixa pressão no líquido das articulações. Imediatamente esta bolha implode («explode» para dentro), da mesma forma que o fazem as bolhas na água gaseificada. O som do «estalido» é o som do líquido a encher a zona da bolha rebentada. Quando a bolha de CO2 e vapor de água implode, uma pequena bolha permanece no seu lugar durante aproximadamente 20 minutos até que o CO2 se dissolva novamente no fluido sinovial. Não implode como a maior. Durante esses 15-20 minutos qualquer tentativa de novamente «estalar» os dedos faz simplesmente aumentar o tamanho da pequena bolha sem a implodir. A pequena bolha vai absorvendo os choques das tentativas seguintes e por isso não se consegue fazer «estalar» a mesma articulação em sequência.

   Os 15-20 minutos mínimos são necessários para que o fluido sinovial absorva o CO2 e esteja «pronto» para o fazer de novo. Além disso, o facto da articulação permanecer esticada durante algum tempo também contribui para esse facto. Há doenças que afetam as articulações, como a artrite mas factores de ordem genética são os prevalecentes no seu surgimento. Uma outra doença ligada à inflamação das articulações é a Gota, uma doença comum entre pessoas que consomem carne ou cerveja em excesso ou têm excesso de peso. A Gota envolve níveis elevados de ácido úrico no sangue estão relacionados com o excesso de ingestão de carnes vermelhas, bebidas alcoólicas e açúcar. Era antigamente conhecida como «doença dos reis» por estar relacionada com excessos alimentares. Quando em grandes quantidades, o ácido úrico cristaliza e esses cristais depositam-se no líquido sinovial, nos tendões e nos tecidos envolventes e leva à inflamação das articulações.

   As razões geralmente apontadas para não-se-estalar os dedos não têm fundamento porque não envolvem os ossos dos dedos nem directamente a articulação. São apenas bolhas de dióxido de carbono a rebentar no líquido sinovial.